Dólar Alto: Como ficam os duty free shops da fronteira?

Com tudo o que tem se falado sobre alta do dólar, subida de preços da gasolina e energia, as pessoas pararam de comprar e estão preocupadas com pagamentos de contas e com medo de ainda mais notícias negativas. Mas e os duty free shops e lojas do Uruguai e Paraguai como ficam? Será o fim das compras na fronteira?

Podemos dizer com certeza que esse mercado já está consolidado, são décadas de atuação e as lojas jamais seriam extintas. Em Rivera e outras cidades uruguaias, é normal a queda de procura, a cidade fica vazia, mas o mercado acaba se adaptando.

Li muitas matérias a respeito, é uma questão cultural. As lojas da fronteira já enfrentaram muitas crises durante todos estas décadas, mas as cidades hoje estão totalmente diferentes, novos serviços e facilidades estão sendo implantadas.

É difícil imaginar, mas as lojas já enfrentaram cotação do dólar de até R$ 4,00 e sobreviveram.

mulher-compras

Dólar Alto e Cota de Isenção

Não é nem a alta do dólar ou crise na nossa economia, muito menos a redução da cota de isenção (em que será acrescentado uma cota adicional para os novos free shops do nosso lado), que irão impedir qualquer crescimento do mercado nessas áreas.

free shop rivera, freeshop, free shop uruguay, free shop rio branco, rivera uy, neutral, siñeriz

Aos poucos os produtos importados acabam ficando mais caros no Brasil, e as pessoas acabam voltando a comprar na fronteira, pois ainda sim acaba sendo mais em conta. Tudo é uma questão de estabilização das cotações das moedas e uma nova onda de otimismo voltar.

A torcida é para que as coisas comecem a andar para uma solução rápida e possamos continuar fazendo viagens e compras nos free shops e lojas do Paraguai, Uruguai e até da Argentina, em Foz do Iguaçú.