Coronavírus – Epidemia do Covid-19 fecha fronteiras aéreas e terrestres

Coronavírus

Novo Coronavírus faz com que Brasil feche fronteiras aéreas e terrestres com os países que também aplicaram o fechamento. Entre os países, se destacam Paraguai, Uruguai e Argentina, entre os que fazem fronteira terrestre com nosso país.

Esta regra tem como exceção aquelas pessoas que tem dupla cidadania.

A pandemia do Novo Coronavírus, causador da Covid-19 está atingindo em cheio os países da América Latina. Atualmente regras de quarentena estão sendo aplicadas em diversas nações, sendo a prevenção a única forma de combate ao vírus.

Coronavírus: Covid-19 ameaça sistemas de saúde

O isolamento social e medidas restritivas são a única forma atualmente de conter o crescente aumento de casos de infecção pelo coronavírus.

A Covid-19 é a doença respiratória causada por este novo tipo de Coronavírus, que teve início em dezembro na cidade de Wuhan, China.

Muita controvérsia e diferentes decisões estão sendo tomadas pelos estados e municípios brasileiros.

Sintomas da Covid-19

Entre os sintomas mais prováveis da nova doença estão: Tosse, febre, dor de garganta e dificuldade para respirar nos casos mais graves.

Alguns pacientes precisam de internação e até de Unidade de Tratamento Intensivo, principalmente aqueles que fazem parte do chamado grupo de risco (pessoas com mais de 60 anos ou que já tenham alguma doença crônica). Os casos mais graves necessitam de respirador artificial e sedação.

Fechamento da fronteira resolve o problema?

A maior razão do fechamento das fronteiras terrestres é evitar que pessoas de um país busquem atendimento de saúde no país vizinho, uma vez que cada nação tem seus próprios métodos de controle, respeitando obviamente a Organização Mundial da Saúde (OMS). A medida visa não colapsar sistemas de saúde.

Comércio em geral segue fechado, principalmente estabelecimentos comerciais e lojas considerados não essenciais.

Decreto do Ministro da Justiça e Segurança Pública Sério Moro teve início em 27 de março de 2020.